O mundo corporativo e a guerra dos sexos

ID-10066542 (2)Por Silvana Lages

No mundo corporativo a gente não escolhe com quem vai trabalhar, se nossa equipe vai ser toda composta de homens (ou então só de mulheres), se vai ter uma panelinha de homens e outra de mulheres ou se a equipe toda se dará muito bem mesmo tendo profissionais de perfis completamente diferentes.

O fato é que hoje em dia boa parte das organizações possuem equipes formadas por profissionais de ambos os “times”, e todos somos obrigados a conviver, diariamente, com qualidade e defeitos, forças e fraquezas, diferenças e semelhanças de profissionais do mesmo sexo ou do sexo oposto.

Com tudo isso, a pergunta que fica é: “meninos e meninas” podem conviver em harmonia em um ambiente corporativo?

Eu acredito que sim, e que a famosa “guerra dos sexos”, apesar de algumas vezes trazer prejuízos para a saúde corporativa, não está diretamente ligada ao progresso ou declínio da carreira de um profissional. Sabendo lidar com as diferenças e até mesmo com as disputas essa “batalha” se torna até mesmo interessantes. O importante é que o bom senso e o profissionalismo prevaleçam, afinal é a sua carreira que está em jogo.

A questão dos hormônios também influencia nessa guerra dos sexos, principalmente por conta das mulheres, que naturalmente são mais sensíveis e que, em momentos de tensão pré-menstrual (a famosa TPM) costumam ficar ainda mais. No entanto, elas não podem usar a TPM como justificativa para comportamentos inadequados no ambiente de trabalho.

Do lado dos homens, o respeito com as colegas mulheres deve imperar. Não é porque hoje uma delas está vestindo uma roupa mais justa que você deve se aproveitar disso. É preciso lembrar que a postura profissional é essencial para o sucesso e, assim, adequar seus comportamentos ao ambiente de trabalho.

A ética profissional é implacável nesses casos. Lidar com emoções e, acima de tudo, controlá-las, não é nada fácil. O que não pode é extrapolar! O respeito mútuo deve existir e seu limite nunca deve ser ultrapassado. Caso aconteça, tente relaxar, esfriar a cabeça e manter o foco no equilíbrio e respeito Não faça com o outro o que não gostaria que fizessem com você. Há muito mais em jogo do que um acontecimento desagradável. A sua imagem corre o risco de ser comprometida!

A dica para situações dessa natureza envolvendo homens e mulheres é ver os outros membros da equipe como colaboradores. Qualquer situação atípica e constrangedora deve ser resolvida com educação e respeito. No ambiente corporativo o que predomina é a competência e responsabilidade com o seu trabalho. Unam forças para que sua empresa alcance o sucesso. A sua carreira colherá os frutos dessa boa relação!

Sucesso!

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Deixe um comentário

Comentar post