Etiqueta e crianças: como deve ser essa relação?

Por Silvana Lages

Recentemente recebi e-mail de um menino de 12 anos dizendo que gostava muito de etiqueta e que estava interessado em fazer um curso.

Vejam só, tão novo e já se preocupando com sua Imagem Pessoal!

Isso me inspirou a escrever este artigo. Como ensinar etiqueta para as crianças e a partir de que idade devemos nos preocupar com isso? Você sabe? Não? Então acompanhe meu raciocínio.

Como começar

Crianças e etiqueta

Antes de mais nada devemos lembrar que a infância é uma época muito rica! Cada dia é um turbilhão de aprendizados e as energias parecem ser inesgotáveis. Criança deve ser criança. Correr, brincar, pular, sujar, gritar… tudo isso faz parte desse tempo tão gostoso de nossa vida, e não devemos privá-las disso.

Porém, nada o impede de, aos poucos, ir ensinando às crianças algumas regras de etiqueta que as ajudarão futuramente a se adaptar ao ambiente corporativo de maneira mais fácil. Se deixar elas totalmente soltas vai ser muito difícil depois para que se encaixem nas normas da sociedade.

Como ensinar etiqueta para crianças

Mas, se você está se pergunta de que forma pode ensinar a etiqueta a seus filhos, a resposta é simples: por meio de suas próprias atitudes.

Veja abaixo o vídeo “Criança vê, criança faz”, que mostra exatamente o que quero dizer:

As crianças aprendem pelo que vivenciam em seu dia a dia. E os pais são sempre os maiores influenciadores. É assim com tudo: desde as primeiras palavras até os valores morais que passamos a elas (como vimos no vídeo).

Com a etiqueta também é assim! Muito mais do que por aquilo que falamos, é pela forma como agimos que mostramos qual é a melhor maneira de se comportar na sociedade.

Então, não adianta, por exemplo, dizer a uma criança que mastigue de boca fechada se você fica de boca aberta enquanto come. Se a criança vê seus pais falando com a boca cheia de comida, ela vai achar que isso é o certo.

Quando começar a ensinar etiqueta a crianças?

Quanto à idade ideal para começar a passar alguns ensinamentos não há nada muito estabelecido. Cada criança tem seu jeito e sua forma de perceber as coisas. Vai depender muito do nível de maturidade de cada uma.

O que vale nessa hora é o bom senso dos pais de saber identificar o momento de deixá-la ser criança dando liberdade a ela e, ao mesmo tempo, sempre que possível, ir passando aos poucos os ensinamentos sobre o comportamento adequado. Se seu filho, por exemplo, tem dificuldade com os talheres, tudo bem ele comer a coxa de frango com as mãos. Mas vá pedindo para ele tentar usar o garfo e a faca. Aos poucos ele vai aprender e logo estará comendo como o papai e a mamãe.

Silvana Lages - baixaÉ na infância que adquirimos o maior número de conhecimento, e é também nessa fase da vida que aprendemos mais rápido. Então, não prenda seus filhos a regras rígidas de etiqueta, mas dê o exemplo sempre para que ele aprenda observando seus maiores professores: os seus pais.

Silvana Lages

Você não está autorizado a visualizar esta parte
O campo App IDotherwise your plugin won't work.
Deixe um comentário

Comentar post